Descolagem #5 – Games

O 5º evento organizado por Beto Largman já aconteceu há quase 1 semana e somente agora tive um tempinho para escrever em meu blog. Sorry folks mas tive muito trabalho para fazer. Muito mesmo.


Mas vamos deixar o blá blá blá de lado para falar sobre o Descolagem #5. Como na semana passada teve o SB Games, o N.A.V.E. trouxe 2 incríveis palestrantes para fazer do futuro dos jogos eletrônicos. O primeiro foi Glenn Entis, que já trabalhou na DreamWorks Interactive e depois vem a fundar a VanEdge Capital, empresa especializada em entretenimento interativo e mídias digitais. Seu tema foi Breathing Life into Interactive Characters (Um sopro de vida para os personagens interativos). 

Muito antes dos super desenhos da Pixar e Dreamworks, as pessoas já usavam personagens para contar histórias e interagir, é só olhar os desenhos nas cavernas. Mas era tudo em linhas retas e duras. Após a época da Renascença as formas mais redondas e “vivas” chegaram a nós. E de lá pra cá a coisa saiu do papel.

O primeiro desenho animado foi criado em 1914 por Winbor McCay e se chamava Gertie, o Dinossauro. Mas você ainda não via personalidade nele. Então fizeram desenhos que mostrasse coisas que seriam impossíveis para a gente, como a animação de 1924, Koko’s Hypnotism. Mas não dá pra negar que foi Walt Disney que revolucionou tudo. Revolucionou porque seus personagens expressavam emoções humanas e o público se identificava. Entis mostrou o filme Branca de Neve e os Sete Anões para demonstrar.



Aí veio o computador e a computação gráfica. O que era uma máquina para resolver problemas, trouxe também encantamento e diversão. Hoje são os heróis dos vídeo games que contam suas histórias. Muitas empresas querem desenvolver os personagens mais próximos possíveis da realidade mas Entis alerta que não é isso que gera fascínio no público. Eles querem ver as emoções que veem nos desenhos animados. Não é a toa que o encanador Mário é um dos heróis mais queridos.

Depois foi a vez de Dante Anderson, VP da Kuma Games e um dos criadores do jogo Duke Nunkem, se apresentar. Ele fez uma comparação entre o tradicional e o novo no mundo dos games. Antigamente os games eram basicamente ação e esportes. Com a vinda do PC, surgiram as histórias com narrativas. A bola da vez são os games de aplicativos que virou febre nas redes socias como Facebook e em celulares, a exemplo do iPhone. Um dos jogos mais poulares é o Farmville.

Segundo matéria do site Vírgula, mais de 35 milhões de pessoas jogam nesse aplicativo, que nada mais é do que administrar uma fazenda. Plantar, arar a terra, cuidar dos animais e mais tarde vender o que você produziu. Para ganhar mais moedas você convida seus fazendeiros vizinhos, que são seus amigos de Facebook. Um acaba ajudando o outro seja na colheita ou em resolver problemas como ervas daninhas na plantação. Parece bobo mas quando você se dá conta entra todo dia para ver como está a sua fazenda. Essa é a parte que Anderson queria chegar. Games hoje são mais interativos e cada dia cresce o número de adeptos dos aplicativos em redes sociais e celulares.

O que vem por aí, de acordo com Anderson, são: jogos de mobile com realidade aumentada, transmedia (uma história central distribuída em outras histórias com várias plataformas diferentes), etc.

Novos tempos fazem nascer novas pessoas com novas vontades. O resultado só poderia ser novas tecnologias. Daqui a pouco só falta a gente viver como os garotos de Caverna do Dragão. E acho que não será impossível.
Anúncios

Tags:, , , , , , ,

About Bárbara Gaia

Vivo no fantástico mundo digital e da redação publicitária. https://about.me/bngaia

Comenta aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: